Empresas são obrigadas a manter ambiente saudável de trabalho Imprimir E-mail

Cuidados com equipamentos e disposição de móveis estão previstos em norma do Ministério do Trabalho

   Dores nas costas, desconforto, braços pesados, pernas mal acomodadas. Se você trabalha e é acometido, vez em sempre, pelos sintomas descritos, está muito perto de se tornar sério candidato a desenvolver (se é que isso já não aconteceu) doença ocupacional decorrente não apenas do esforço repetitivo que pratica, mas, principalmente, do mau posicionamento durante a execução do serviço. Não se sinta pior por conta desse hábito.

Milhões de trabalhadores não sabem como ficar em pé, como ficar sentado, como se movimentar, como carregar peso, ou que quaisquer outros cuidados tomar para evitar que os efeitos desse quadro se prolonguem e se agravem.

   Poucos trabalhadores sabem, e um número menor ainda de empresas implementa conjunto de ações previsto em norma do Ministério do Trabalho baixada justamente para fazer frente a esse tipo de ocorrência. No que se refere ao assunto aqui tratado, a Norma Regulamentadora de número 17 é a que estabelece parâmetros que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

   Como norma, a medida tem de ser cumprida, sob pena de sujeitar aqueles que assim não o fazem a penalidades. Para começar, a aplicação da NR 17 envolve, também, aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho e à sua própria organização. Isso equivale a dizer que as empresas devem realizar análise ergonômica para avaliar as instalações onde o trabalho será realizado e, da mesma forma, as características dos trabalhadores.

    Na prática, portanto, quem é admitido para trabalhar em ambiente que ofereça risco à saúde tem garantido o atendimento de condições que tornem o desempenho da tarefa menos agressivo, ou que diminuam as chances de prejuízo à integridade física. Além do uso de equipamentos de segurança, quando eles se fizerem necessários, outras medidas têm de ser adotadas, entre elas a adaptação do espaço e do mobiliário utilizado.

   É necessário, por exemplo, que equipamentos ofereçam condição de mobilidade sem comprometer aqueles que forem manuseá-los. Mesas e cadeiras devem estar ajustadas, o peso suportado não deve ultrapassar a determinados limites. Se quaisquer dos cuidados não forem colocados em prática, o empregador assume o risco de expor seus funcionários a risco e fica obrigado a eventual reparação de dano à saúde.

   Com toda a certeza, as disposições voltadas a tornar o ambiente de trabalho mais saudável e, consequentemente, menos suscetível aos riscos, são adotadas por um número reduzido de empresas. Vale destacar que tal providência é prevista, inclusive, pela Constituição Federal.  Até por isso, deve o trabalhador ficar atento e não permitir que possível omissão do empregador cause prejuízos.

 

   Até a próxima edição.
 

 Ronaldo Borges
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

Curta nossa Fan Page

Nosso Endereço


Newsflash

Cyberbullying é uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar outrem. - Bill Belsey....................... leia mais!

Responsabilidade Social
seloabrinq.jpg selomariaclaro.jpg logorotary.jpg